Todos os artigos em Sustentabilidade

 

23

jul 2013

Aquecimento Passivo

Navegando pelas redes sociais me deparo com muita reclamação sobre o frio que veio forte, principalmente para a Região Sul do Brasil… Paranaense morando em Campinas-SP, por um momento esqueci que o inverno nessa região é mesmo rigoroso e infelizmente as casas não são adaptadas a esse tipo de clima. Pensando nisso resolvi escrever esse artigo para meus amigos do Sul, principalmente para aqueles que estão construindo ou reformando. Podemos pensar uma maneira eficiente de aquecimento sem custos elevados apenas seguindo os conceitos do DESIGN PASSIVO.

living-room-

POR QUE DESIGN PASSIVO?

Passivo porque usará meios naturais e consequentemente pouca energia elétrica para aquecimento ou resfriamento dos ambientes, garantindo maior conforto (de maneira geral podemos considerar como confortável temperaturas entre 18 oC e 24 oC) dentro dos ambientes.

Essa forma de projetar tira proveito:

  • Do clima local, adaptando-se as suas características;
  • Dos ventos incidentes, garantindo uma ventilação natural;
  • Do sol para aquecimento da casa e da água;
  • De isolamento térmico, janelas e portas eficientes;
  • Prevê o uso da massa térmica dos materiais.

O primeiro passo para projetar de maneira passiva é definir a localização geográfica, a orientação geográfica do terreno e as características do clima local, já que essas características  definirão os primeiros parâmetros do projeto.

Na Região Sul do Brasil, temos temperaturas médias inferiores a 18 oC, dessa maneira temos, verão suave, inverno frio, com nevascas ocasionais nas áreas mais elevadas e chuvas constantes o ano inteiro. Podemos definir como clima misto, nesse caso, precisamos de casas quentes no inverno e “frecas” no verão.

Leia mais →

 

  • by clarissa
  • 1 Comment
  • jul 23, 2013
  • Standard

24

maio 2013

Por que usar LED?

Lampadas-Led

LampLED

Economia

  • A tecnologia LED permite uma economia de energia de até 90%, pois é até 6 vezes mais eficiente do que lâmpadas convencionais.
  • Emite luz na medida certa, sem perda ou dispersão.

Variedade de cores

  • O LED possibilita inúmeras combinações de tonalidades de luz, permitindo a criação de até 16 milhões de cores.
  • Alta durabilidade
  • O LED pode durar até 45 anos (considerando uma vida útil de 45 mil horas se usado por cerda de 2,7 horas por dia.
  • Possuiu um sistema de “liga e desliga” ilimitado, não interferindo na vida útil do produto.

Leia mais →

 

  • by clarissa
  • 0 Comment
  • maio 24, 2013
  • Standard

11

maio 2013

Seminário sobre Design Passivo

 

Buscando sempre as melhores soluções para desenvolver projetos sustentáveis, funcionais e de design para meus clientes, ontem, 10/05/2013 participei da palestra sobre Design Passivo, com a arquiteta e professora Mirian Gurgel. Muitas novidades para trazer conforto, diminuir gastos e ser ambientalmente correto ou sustentável, e o melhor de tudo, ao alcance de todos.
DSC019102

Participação no Seminário sobre Design Passivo

O conceito de Design Passivo foi desenvolvido na Alemanha a partir dos anos de 1990, tem sido utilizado no mundo todo como base para uma arquitetura e um design sustentáveis. Emprega conhecimentos relacionados ao clima local em que a edificação será construída, os ventos incidentes,  layout do projeto, a destinação dada aos ambientes, os materiais utilizados e quaisquer outros fatores que visem sempre a um resultado energeticamente eficiente.

A arquitetura ou design “passivo” porque se baseia no emprego dos meios naturais tanto para o aquecimento da casa quanto para seu resfriamento, dependendo, consequentemente, de pouca energia elétrica para garantir conforto ambiental aos seus moradores.

Trecho do Livro: Design Passivo de Mirian Gurgel.

 

 

  • by clarissa
  • 0 Comment
  • maio 11, 2013
  • Standard

08

mar 2013

Construindo um Lar Sustentável

A moradia é a nossa terceira pele. Dentro dela nos sentimentos seguros e protegidos. A habitação além de ser um direito de todos é uma necessidade, assim como a alimentação.

A habitação não deve ser vista apenas como abrigo, ela deve ser saudável, deve ser confortável e deve estar em conformidade com o meio ambiente.

Por ser a construção civil uma atividade que demanda de produtos com substancias voláteis venenosas e materiais cancerígenos a bio-construção e os critérios verdes se tornaram fundamentais para diminuir os danos ao meio ambiente e ao homem.

Uma moradia projetada dentro dos critérios verdes prevê aproveitamento das condições naturais locais.

  • Orientar a fachada principal para o norte (Hemisfério Sul);
  • Integrar a espaços verdes, diminuindo dessa maneira a impermeabilização total do solo;
  • Usar materiais de construção locais sempre que possível;

Um exemplo de moradia sustentável é a Casa Pit, foi construída afundada no solo para tirar proveito da massa da Terra que mantém o conforto térmico ao longo do ano. Invernos quentes e verões frios no seu interior. O telhado isolante verde é uma extensão da paisagem natural. A piscina é aquecida por um sistema geotérmico que ajuda a regular a temperatura do ambiente. Grandes painéis de vidro permitem economia de energia já que se utiliza da iluminação natural durante todas as horas de sol.

eh_060213_06

Leia mais →

 

  • by clarissa
  • 0 Comment
  • mar 08, 2013
  • Standard

08

mar 2013

Sustentabilidade e Consumo Consciente

E com grande satisfação que venho falar sobre um tema ao mesmo tempo tão vasto quanto especializado: A sustentabilidade. Meu olhar geográfico e de ambientalista irão nortear a primeira parte desse artigo e minha visão de designer irá concluir (ler artigo “Construindo Um Lar Sustentável” e “Convertendo Uma Casa Em Um Lar Ecológico).

1

Foi a partir do séc. XVIII que o homem começa a se colocar como centro do universo, um ser que  esta acima da natureza e esta existe de maneira inesgotável apenas para suprir suas necessidades.

Hoje sabemos que se não houver uma mudança drástica na forma como o homem vê e se porta em relação ao Planeta Terra o ser humano vai consumar o seu maior feito “a destruição do próprio Planeta”, que o sustentou, abrigou e o alimentou.

Precisamos ultrapassar os limites da divisão HOMEM X NATUREZA para que possamos ter um Planeta com capacidade de regeneração e sustentação. Precisamos substituir o EGO pelo ECO.

551446_542521269114286_1825425123_n

 

Essa sustentabilidade obriga ouvir os animais, as plantas e fazer algo, arregaçar as mangas e agir enquanto há tempo.

O Planeta pede socorro, não adianta apenas discutir e esperar das autoridades providencias. O agente transformador mais poderoso é o “mercado consumidor”,  isso significa que sou eu, são vocês.  Por isso acredito que a sustentabilidade deve ser inerente ao individuo e que ela só será eficaz quando esse individuo aprender a consumir de maneira consciente.

Leia mais →

 

  • by clarissa
  • 0 Comment
  • mar 08, 2013
  • Standard